Redes sociais: Não existe almoço grátis

Tempo de leitura: 10 minutos

O investimento em redes sociais precisa, primeiro, ter um objetivo claro! A seguir alguns exemplos do que sua empresa pode alcançar com um bom trabalho em redes sociais:

  • Gerar novos leads qualificados
  • Share of mind
  • Analisar a concorrência
  • Aproximação com o público

Algumas marcas que estão começando a trabalhar nas mídias sociais acreditam que programar as postagens e separar algumas horas da semana para isso é o suficiente. Essa é uma visão distorcida da importância das redes sociais e infelizmente muito comum. Se você faz as postagens sem objetivo, planejamento e metas, esse é um hobby, não parte do seu trabalho. O conselho para redes sociais é: ou faça bem feito ou nem comece – o efeito de ter um conteúdo mal feito, mal planejado e mal executado nas redes sociais pode ser pior do que não ter nada. Só estar “presente” definitivamente não basta.

Outro erro comum é utilizar o espaço das redes sociais apenas para vender o seu produto postando imagens e preços. Por definição as redes sociais são espaços de interação, e fica complicado para o usuário interagir com um post de uma foto do produto com o preço. As marcas que trabalham com marketing digital já perceberam que esse tipo de publicação, focado apenas na venda, é um tiro no pé. A explicação é simples: ninguém está nas redes sociais exclusivamente para fazer compras. A ideia é ter um conteúdo relevante para o seu público. Uma padaria, por exemplo, não deve postar a foto de um bolo e o preço dele, mas criar no usuário a vontade de provar o bolo, marcar amigos na publicação para que vejam o bolo, interagir positivamente com a marca – criar uma relação. Ou, quem sabe, a padaria poderia publicar a receita do bolo! As empresas e marcas precisam, cada vez mais, ser relevantes para os seus seguidores – a cada dia são centenas de novas marcas presentes nas redes e todas elas disputam a atenção dos usuários.

Portrait_of_Milton_Friedman
Milton Friedman, possivelmente elaborando um bom argumento contra o mito do almoço grátis.

Prova disso é que você provavelmente curte diversas páginas de marcas e empresas do seu interesse no Facebook – lojas, restaurantes, e-commerces. Já reparou que as postagens dessas marcas eventualmente aparecem na sua linha do tempo? Isso acontece porque o Facebook calcula a relevância das páginas para você. Isso quer dizer que, muitas vezes, essas publicações não irão aparecer no seu feed de notícias  É claro que você pode acessar as publicações na página da marca, mas esse caso ocorre com menos frequência – o cliente ir até a página da marca. Além disso, é interessante encontrar as redes sociais ideais para o seu negócio. Se você tem um produto interessante visualmente, por exemplo, o Instagram provavelmente é uma rede social indicada para você. Cada marca e empresa precisa encontrar as suas redes ideais e que geram o retorno desejado. Mas como criar um tráfego ideal? Você acredita que postar de vez em quando nas redes sociais é o suficiente para a sua empresa? Então você definitivamente precisa ler este texto.

A melhor estratégia de tráfego nas redes sociais

Recomendamos para você:  Instagram: a rainha do conteúdo visual

No início da web, ter um site, uma página em uma rede social já era suficiente, já era um diferencial. Atualmente, essa ideia morreu – hoje é preciso ir muito além. São mais de 50 milhões de páginas de marcas, empresas e personalidades no Facebook. O fato é que a Internet, que antigamente tinha apenas uma função secundária nos negócios, ganhou papel de destaque e, acredite, redes sociais não são para amadores. As pessoas estão mais conectadas do que nunca e é às redes sociais que elas recorrem quando desejam fazer críticas, elogios ou obter informações sobre as marcas de interesse. Existem dois tipos de tráfego nas redes sociais que efetivamente trazem resultados:

Tráfego Pago

O tráfego pago na Internet é conhecido também como link patrocinado. Os links patrocinados podem ser criados por qualquer pessoa ou marca que deseje aumentar o número de visitantes do seu site ou blog. Através do Google Adwords é possível definir qual é o público alvo e quais são as palavras chaves relacionadas ao site. Por exemplo, você define que para o seu e-commerce de roupas básicas a palavra “blusa preta listrada” é uma possível busca. Quando alguém buscar no Google “blusa preta listrada” o seu site irá aparecer no topo da página. Dessa forma, é possível aparecer mais vezes para as pessoas que pesquisam os temas listados.

Já nas redes sociais o conteúdo é direcionado através de um filtro de pessoas que você deseja atingir (você pode selecionar interesses, idade, sexo, localização, entre outros). Esse direcionamento é pago e varia de acordo com os filtros selecionados. Entretanto, algumas marcas encontram problemas com curtidas e comentários feitos através de tráfego pago, isso porque o Facebook, por exemplo, procura por páginas de interesse da pessoa. Exemplificando, se você curtiu a página do seu time de futebol, o Facebook entende que você tem interesse em futebol – mas isso não é necessariamente verdade – o que pode prejudicar no alcance e engajamento que a sua marca deseja obter.

Tráfego Orgânico

Como já falamos antes, estar “presente” nas redes sociais por si só não basta. O conteúdo precisa ser planejado e possuir objetivos, bem como os meios de análise das redes sociais.  Hoje existem várias técnicas para estimular o tráfego do seu site, mas não se engane, esse estímulo também requer investimento. Por exemplo, você pode estimular o tráfego nas suas redes investindo no seu conteúdo – existem diversas técnicas para alavancar sua colocação nas buscas do Google – construção de textos densos, com links internos e externos etc. Entretanto, esse processo não é simples e precisa de investimento e tempo para encontrar um bom assunto (que seja relacionado com seu nicho e com os tópicos do momento), desenvolver um texto rico em conteúdo orientado para SEO, e além disso, esse conteúdo precisa ser divulgado em diversos canais para que o tráfego aumente.

Como encontrar e utilizar os influenciadores da sua marca

Recomendamos para você:  Twitter Analytics I: Métricas nativas, públicos e interações

Você sabe quem são as pessoas que influenciam outras sobre a sua marca nas redes sociais? Descobrir quem são esses usuários e usá-los ao seu favor pode trazer benefícios nas vendas da sua empresa. A ideia de que influenciadores são celebridades ou artistas parece comum entre as pessoas e organizações. Contudo, um influenciador não é necessariamente uma celebridade.

Heilen e Asimov Influenciando-se mutuamente.
Heilen e Asimov Influenciando-se mutuamente, e prestes a influenciar gerações de computistas, incluindo Sentimonitors.

Cada mercado pode ter um tipo diferente de influenciador – como o próprio nome diz, são pessoas que são influentes naquele meio. Para uma loja de decoração talvez uma modelo não seja o influenciador ideal – afinal, você quer atingir pessoas que queiram, no fim das contas, comprar seus produtos, certo? Talvez um arquiteto – que indica e trabalha com produtos de decoração – fosse a solução ideal. Mas como ter certeza se essa é a melhor opção para o seu negócio?

Através do monitoramento e análise da sua marca é possível identificar pessoas ou grupos de pessoas que tem influência sobre outras pela função que exercem ou pelo que falam nas redes sociais. Elas já citam a sua marca normalmente, então é só uma questão de aproximação correta da marca com o influenciador – criando relações, convidando para eventos, participando, respondendo e tirando dúvidas ativamente nas redes sociais. Também é possível identificar detratores – pessoas que falam mal da sua marca e tentar contornar essa situação.
Outra maneira de encontrar um influenciadores é, através de uma plataforma especializada, monitorar termos amplos, que tenham a ver com a sua marca. Seguindo no exemplo de uma marca de decoração, essa marca poderia monitorar termos relacionados à decoração e encontrar pessoas que falem sobre esse assunto normalmente nas redes sociais. O próximo passo seria o engajamento com esses usuários – tornando-os verdadeiros influenciadores da marca.

Just in time content

O conteúdo just in time pode assumir diversas formas e ser distribuído em diversos canais. O conteúdo de uma empresa precisa estar alinhado com as personas e a jornada do consumidor – e para entender como esse usuário se comporta, a análise de redes sociais é fundamental. Com a análise, dados relevantes são obtidos – termos relacionados para a orientação conteúdo podem ser encontrados, influenciadores, redes sociais mais adequadas para o seu negócio. O conteúdo pode então ser pensado para cada rede social, de acordo com a forma de cada rede e os usuários identificados.

just in time content

A união de tecnologia, conteúdo e diferentes tipos de abordagem pode criar uma relação extremamente impactante com o seu cliente. Esse conteúdo pode ser aproveitado por marketing e vendas como um apoio para envolver o cliente em sua jornada de compras e alimentando-as através do processo. E ajudar a influenciar suas decisões de compra.

Esta variedade de conteúdo desenvolvido pelos profissionais de marketing de conteúdo, orientados pelo monitoramento das redes sociais, pode alavancar a sua capacidade de comunicar e se conectar com dezenas de milhares de clientes de maneiras relevantes, criando e adaptando-se para cada caso. Entregando o conteúdo correto no momento certo. Por exemplo, é possível que uma marca monitore um tema que tenha relação com seu nicho – uma empresa de arquitetura monitora termos relacionados a decoração – e percebe que um determinado tipo de decoração como “azulejos” está em alta. Dessa forma, é possível criar conteúdo orientado para o seu público, além de entregar o que os clientes esperam.

A sua empresa está investindo em redes sociais ou apenas postando conteúdos irrelevantes?

Recomendamos para você:  Análise de Mídias Sociais para E-commerce: 3 cuidados para insights acionáveis

Você está satisfeito com o resultado das suas ações nas mídias sociais? Como vimos, não há como atuar efetivamente (com objetivos) nas redes sociais sem investimento.

As redes sociais precisam ser planejadas, bem executadas e mensuradas. É possível optar por como você deseja investir nas redes sociais mas, sim, você precisa investir tempo e dinheiro para ter resultado (ou nem comece!). É preciso possuir os processos adequados, pessoal qualificado e ferramentas capazes de auxiliar na obtenção de dados nas redes sociais.

Através do monitoramento e análise das redes sociais de uma plataforma especializada diversos insights podem ser obtidos – é possível detectar influenciadores, analisar concorrência, descobrir termos para orientar a produção de conteúdo, descobrir novos leads através de combinação de termos – enfim, são diversas possibilidades que podem alavancar suas vendas e aumentar a sua presença nas redes sociais!

Se a sua empresa ainda não trabalha efetivamente com redes sociais com certeza está perdendo clientes. Entre em contato conosco – vamos juntos construir a melhor solução para a sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *