Insurtech Latam Forum 2021 – Inovações e Tendências no mercado de seguros

Tempo de leitura: 16 minutos

Você é ligado no mercado de seguros e tecnologia!? Então não pode perder esse super resumo com o que rolou no Insurtech Latam Forum 2021. Neste post nossa analista de inteligência, Bruna Fragoso, elaborou a síntese com os principais tópicos. Ao todo foram 3 dias de evento, com muita coisa bacana e o fechamento especial, onde a Sentimonitor foi eleita destaque entre empresas de tecnologia para o mercado de seguros!

[1º dia] Insurtech Latam Forum 2021

Tendências de acesso à internet

A cada dia, mais empresas estão apostando em soluções e tecnologias para melhorar seus modelos de negócios e impactar a vida das pessoas. Atualmente, 4 bilhões de pessoas estão conectadas e o acesso às mídias sociais está ultrapassando o mecanismo de busca Google. 

A transformação digital e a cultura digital foi um dos termos mais mencionados nas palestras no primeiro dia de evento. E, essa mudança, chegou para acelerar e potencializar os setores de gestão e atendimento ao cliente em diversos setor. Portanto, ficar de fora da onda das tendências digitais não é a melhor opção para quem busca manter-se competitivo no mercado de seguros. 

Tendência de foco no consumidor (abordagem consumer centric)

Com foco total no consumidor, a palestra The Global Digital Trends you can use to transform insurance ministrada por Hugh Terry e Simon Phipps fundadores da The Digital Insurer, apresentou novas oportunidades para atender as necessidades dos consumidores a partir da tecnologia e das seis tendências digitais que estão motivando a transformação digital. 

Com foco total no consumidor, a palestra The Global Digital Trends you can use to transform insurance ministrada por Hugh Terry e Simon Phipps fundadores da The Digital Insurer, apresentou novas oportunidades para atender as necessidades dos consumidores a partir da tecnologia e das seis tendências digitais que estão motivando a transformação digital. 

E, como já dizia Jeff Bezos – CEO da Amazon: se você está focando no seu consumidor, você está focando no seu concorrente. Dessa forma, os palestrantes citaram duas estratégia que a sua empresa pode utilizar para atrair mais clientes e entregar um serviço que atenda às suas necessidades:

  • Criar produtos customizados para os seus clientes usando a tecnologia para aumentar a confiança deles e;
  • Procurar conhecer a comunidade onde a sua seguradora está inserida.

Além disso, Renato Pedroso – CEO da Previsul, mostrou como uma seguradora centenária está sempre se reinventando e acompanhando as mudanças no mercado de seguros.

A empresa, nos últimos 10 anos, buscou se reposicionar no cenário digital e ser uma seguradora digital para os corretores. Tudo isso para priorizar o autosserviço do corretor dentro das plataformas da companhia, trazer tudo que há de mais moderno no mercado e, assim, manter-se na frente e ser protagonista da linha digital.

A companhia também acredita que há uma mudança na cultura digital e de seguros. Os brasileiros estão percebendo que o seguro compõe uma estrutura financeira na sua própria vida. O seguro cobre a parte que está nos eventos futuros e incertos – diz, Pedroso.

A educação financeira é um dos processos que a pandemia transformou no mundo todo. Preocupar-se com seus dependentes financeiros fez com que as pessoas buscassem garantias e estabilidade na aquisição de seguros.

Como tendências para o futuro, Pedroso indica três fatores para esse movimento do mercado e da inovação, que são:

  • A digitalização de todo o processo da empresa;
  • A inovação em cobrança, como por exemplo o uso do pix;
  • E, a inovação em produtos.
Recomendamos para você:  3 Insights de Inteligência Competitiva que podem ser obtidos a partir do monitoramento dos seus concorrentes nas redes sociais.

[2º dia] Insurtech Latam Forum 2021:

O que podemos esperar do futuro no mercado de seguros? 

Tecnologia, transformação digital, modernização e, principalmente, liberdade de escolha do consumidor, foram questões abordadas no segundo dia do evento Insurtech Latam Forum 2021.

Este dia, foi uma  oportunidade de saber o que tem e o que podemos esperar de mais moderno no mundo das Insurtechs. Ficou claro que antecipar-se sobre o futuro digital é uma tendência e que vai ajudar a sua empresa a criar mecanismos para conquistar seus clientes e satisfazê-los.

O novo consumidor tem voracidade em buscar produtos e ideias novas e, com certeza, quem estiver alinhado entre tecnologia e modernização irá conquistar nichos distintos no mercado. Portanto, se faz necessário avaliar em como sua empresa pode:

  1. Desburocratizar os processos;
  2. Democratizar os valores do seu produto, e;
  3. Permitir que o seu consumidor determine o que ele deseja. 

Mercado global: insurtechs asiática para o mundo

Com esse olhar para o mercado, a palestra eBaoTech: do mercado asiático para o mundo. abrindo as fronteiras do brasil e da américa latina para a inovação ministrada por Rafael Cechini Rodrigues, Weliton Costa, Rodrigo Poppi, mostrou como é possível tornar os seguros mais fáceis e dinâmicos. 

A empresa, que tem 21 anos no mercado de seguros, consegue trabalhar com todo o ecossistema de seguros e oferecer a melhor tecnologia e insights para os seus clientes.

E como eles fazem isso? A empresa está escutando mais os seus consumidores e personalizando os produtos para atender as necessidades das pessoas. Além de, buscar o que tem de mais moderno no mercado para entregar o melhor para o consumidor. Para a empresa é importante adaptar-se a determinados perfis de consumo.

Sobre os estilos diferentes de operação entre o mercado Asiático e América Latina, a empresa enfatiza que o mercado asiático concede uma certa autonomia para quem deseja montar uma startup e desenvolver novos produtos. E, por isso, eles estão na frente em questões de tecnologia e modernização. Tem-se menos burocratização e mais liberdade para começar ou recomeçar um negócio. 

A chegada do Sandbox: simplificando a inovação para as insurtechs

No Brasil, com a criação da sandbox, a Susep, permitiu que empresas fintech e insurtech tivessem mais liberdade para criar, desenvolver e aplicar novos produtos sem burocratização, diz Weliton Costa.

Após esses testes e a sua validação é que um grupo se reúne para regulamentar os processos. Esse é um procedimento que incentiva e fomenta a buscar novos segurados que antes não tinham essa visão ou planejamento.

Modernização na cadeia de soluções: um caminho sem volta

Modernização na cadeia de soluções é algo que não tem volta. Então, que tecnologias obrigatoriamente vão fazer parte do mercado? 

Para a empresa eBaoTech, será: usar dados, AIOT – Inteligência Artificial das Coisas e Devices conectados como: telemetria, câmeras, alarmes e a integração de API e nuvem. Ferramentas que estiverem prontas e conseguir se conectar de uma forma mais rápida vão sair na frente.

Inteligência Artificial e Análise de Comportamento

E, falando sobre dados… a palestra O algoritmo do futuro: como a inteligência behavior está criando uma nova geração de apólices à medida do perfil do segurado foi uma das mais esperadas neste dia.

Apresentada por Fabio Dragone – Diretor de Digital, CRM, Inovação e Customer Experience do Bradesco Seguros, Fabio Morita – Diretor de Dados e Serviços Analíticos da Porto Seguro, Guilherme Marra – Expert Data Scientist da Shift Technology, Leonardo Lima – Country Officer Brazil da Betterfly. A mediação da conversa ficou por conta de Weliton Costa – Business Development Director Americas Division da eBaoTech.

Seguros além da personalização

A personalização de produtos por meio de estudos profundos com dados é o futuro de muitos mercados e empresas. Entregar para o consumidor um produto com base no seu perfil é um processo que vem revolucionando a forma de oferecer seguros. Desta maneira, como o conceito behavior do “How do you drive / live” está trazendo à tona um novo modo de pensar o mercado de seguros?

A hiperpersonalização é uma tendência que vem transformando o modo de pensar sobre como oferecer o melhor produto para o meu consumidor. A partir do uso de dados, com base no perfil do consumidor, busca-se oferecer uma experiência mais atrativa, fácil e segura dentro das plataformas digitais.

Recomendamos para você:  Paralímpiada: Qual a expectativa do público nas redes sociais?

Com essas informações é possível que a sua empresa apresente dentro da plataforma um produto que se encaixe no perfil do seu cliente e também, gerar oportunidades para outras marcas e parceiros. Esse é um dos objetivos da empresa Betterfly. 

De acordo com a empresa Porto Seguro um dos principais desafios em criar um produto personalizado para o cliente é “saber e depois saber como usar”.

Ainda dentro deste cenário personalizado, o corretor tem um papel fundamental na intermediação entre empresa e cliente. No Bradesco Seguros, eles buscam entregar o melhor da tecnologia e dados para que o corretor tenha a informação disponível para a sua consultoria. O corretor faz o papel dele, mas é o cliente que determina o que ele quer. 

LGPD: cuidado com os dados

Sobre os cuidados com os dados do consumidor, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é essencial no seu tratamento das informações e privacidade. A sua empresa já pensou em qual benefício o cliente vai ter em compartilhar seus dados?

Segundo a empresa Betterfly, a tecnologia já permite customizar o que o cliente quer e, com isso, cuidar da sua privacidade. Conceder segurança no tratamento de dados para o seu consumidor será uma oportunidade de destaque para a sua empresa.

Dicas valiosas para o mercado de seguros

Outras dicas valiosas foram mencionadas durante a palestra como investir em inteligência de dados e inteligência aumentada. Isso vai permitir que a sua empresa tenha uma série de recursos que ajudem o analista a escolher a melhor opção e reduzir riscos na tomada de decisão. Também, dar controle ao consumidor é uma forma de sua empresa se diferenciar das concorrentes.

Investimento em Insurtechs

Em relação às novidades das empresas participantes, a empresa Betterfly ganhou, neste momento, a maior rodada de uma insurtech na América Latina. O principal objetivo desse fundo é chegar no Brasil e entregar o melhor de seu produto, que mistura seguro pessoal e plataforma de bem estar para os brasileiros.

A empresa Shift Technology foi considerada o 10º unicórnio na França e o seu foco de investimentos será na detecção de fraudes. A empresa Porto Seguro está investindo em insurtechs femininas através da sua aceleradora Oxigênio.

[3º dia] Insurtech Latam Forum 2021:

Sandbox: estrela do terceiro dia do Insurtech Latam Forum 2021

Em 2019, o Sandbox chegou no Brasil para ficar e revolucionar o mercado de seguros! O terceiro dia do evento Insurtech Latam Forum foi marcado por diferentes temas mas, o que chamou a atenção é a nova onda do momento: o Sandbox!  

Para as empresas que buscam reinventar-se no setor de seguros essa é uma importante e necessária ação a ser acompanhada para modernizar seus processos e produtos.

Mas, afinal o que é este Sandbox?

O Sandbox foi criado em 2019, no Brasil, pela Susep. A sua instalação foi importante para o ecossistema financeiro local com a perspectiva de transformar o Brasil em um hub regional, atraindo investimentos e gerando um ambiente propício à criação de novas fintechs e insurtechs, a exemplo de países como Reino Unido, Cingapura e Hong Kong.

Há pouco mais de um ano, as empresas 88i Seguradora Digital e Pier Seguradora apresentaram no evento suas experiências, evoluções, dificuldades e novidades ao usar esse novo modelo.

A palestra Sandbox insurtech: a experiência brasileira de gerar flexibilidade regulatória de olho na inovação e competitividade foi ministrada por Bárbara Possignolo – Head of Legal and Compliance da Pier; Fernando Moreira – CEO & President 88i Seguradora Digital;  Rafael Scherre – Diretor da SUSEP, com mediação de Luis Cozac Managing Partner Finance, Risk & Compliance da PARTENARIAT. 

O Sandbox é uma experimentação, onde as pessoas estão testando coisas novas e a partir disso, novos produtos podem surgir em benefício ao consumidor.

O Diretor da Susep, Rafael Scherre contou qual foi a motivação para entrar nessa iniciativa:

“A Susep, busca melhorar a experiência do consumidor tanto neste momento que estamos focando em digitalização e nas empresas centradas em modelos de negócios focadas no consumidor. O nosso objetivo é criar um ambiente amigável à concorrência e trazer melhorias às necessidades dos clientes e satisfazê-los”. 

Sobre essa experimentação, Rafael Scherre diz que o foco principal é facilitar a capacidade de inovação das empresas e pensar em medidas que são tomadas fora do Sandbox, mas que conversam de um modo comum com o trabalho tradicional. Os desafios para essa implementação estão em criar boas condições de concorrência no mercado e não criar restrições ou excesso de restrições. 

Recomendamos para você:  Sentimonitor incorpora Vortio

O que insurtech pioneira no uso do Sandbox fala?

Com o propósito de trazer uma experiência totalmente centrada no usuário, a empresa Pier, participante do primeiro edital do Sandbox, conta quais foram as oportunidades que eles atraíram para o seu negócio.

Segundo Bárbara Possignolo, os pilares construídos durante esse processo foram: a experiência centrada no consumidor, coletar as suas dores e produzir produtos focados no consumidor, reduzir custos por meio da distribuição, usar a tecnologia e reduzir preços por meios mais personalizados do comportamento do usuário. A empresa atua no mercado como estimulante no setor de seguros de celulares e automóveis. 

Como serão os próximos passos para insurtechs no Sandbox?

Para o segundo edital, que estava com inscrições em aberto até este mês de junho, a Susep apresentou algumas mudanças. Uma delas é que as empresas que foram aprovadas no ano passado, vão poder se beneficiar nos novos ramos e nas novas regras que a Susep lançou neste modelo.

Segundo Fernando Moreira, a mudança no edital da Sandbox modificou a rotina da empresa 88i. A iniciativa do Sandbox permite levar soluções inovadoras para os clientes e trazer para as empresas tradicionais o desafio de serem revolucionárias. E, essa foi uma mudança que beneficiou a empresa a estar de uma forma diferente no mercado e criar novos modelos de distribuição.

O objetivo da Susep é incluir mais gente para receber seguro. Logo, o desafio não era uma questão de disputar no mercado, mas como levar mais seguros para as pessoas. A empresa, atualmente oferece produtos que são parametrizados em tempo real. 

De acordo com Bárbara Possignolo o novo edital concede uma maior flexibilização. Foram incluídos novos ramos e coberturas e isso viabiliza atrair os novos players. A adesão do open source também é considerada importante, é um ganho para o consumidor mesmo com os desafios do mercado. Outro ponto na mudança no edital foi em relação ao capital financeiro. Agora é permitido que as empresas aportem o seu capital em até 12 meses. 

E o que podemos esperar das inovações das empresas 88i e Pier? 

A empresa 88i trabalha com uma forma diferente de cancelar o seu seguro. O cliente quando faz a solicitação não é cancelado, ele apenas é desligado do processo. Dessa forma, quando o cliente quer voltar para a empresa ele não precisa fazer todos os procedimentos de entrada. Além disso, todos os seguros são parametrizados em tempo real. 

Já a empresa Pier criou uma inteligência artificial que faz análise dos pedidos de reembolsos em questão de segundos. Assim, eles têm feito pagamento de maneira instantânea na conta do cliente. 

Fechamento com pitch de insurtechs selecionadas

Para finalizar esse dia, à noite tivemos o INSURTECH PITCH DAY – BRASIL uma iniciativa para que empresas apresentassem suas inovações e a mais votada levaria o grande prêmio. Nossa empresa, Sentimonitor representada por Hugo Pinto – CEO e Diretor participou desse processo e levou o prêmio.

Hugo Pinto apresentou como a Sentimonitor é capaz de ajudar seguradoras e empresas do segmento a melhorar a experiência de clientes e consumidores, analisar tendências, comportamento e obter insights de melhorias e novos produtos.

Utilizando big data e inteligência artificial, a Sentimonitor entrega uma visão 360º sobre o que as pessoas estão falando nos diferentes canais, sejam eles internos à empresa (chats, bots, pesquisas, e-mails, SAC), ou externos (sites, fóruns, blogs e redes sociais).

Além da Sentimonitor, as empresas Claimshare representada por Chaim Finizola e 3STAMINA representada por Danilo Reis também mostraram suas grandes ideias e inovações para o mercado de seguros. 

Como corpo de jurados fizeram parte: Maurício Martinez – Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento, da empresa Porto Seguro; Michel Dubernet – CEO – Founder, da empresa Partenariat; Rodrigo Ventura – Founder / Chairman / CSO, da empresa 88i Seguradora Digital e Elane Cortez – Diretora de Desenvolvimento Corporativo, da empresa CMS Group Brasil que revelou a votação do público. 

Agora, nos encontramos em Novembro de 2021 no evento CQCS Insurtech & Innovation.

Parabéns a todos os participantes!

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe conosco a sua opinião.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *