Análise de mídias sociais do Fórum da Liberdade

Tempo de leitura: 4 minutos

No início desta semana, nos dias 09 e 10, ocorreu o 30º Fórum da Liberdade, em Porto Alegre. A Sentimonitor monitorou as mensagens sobre evento nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram e Youtube e também em sites de notícias. Nos dois dias de evento foram quase 37 mil postagens ligadas diretamente ao Fórum da Liberdade, que geraram 172 mil engajamentos* com alcance potencial de mais de 47 milhões de usuários.

Análise das mídias sociais do primeiro dia do Fórum da Liberdade

Na segunda-feira, o principal assunto nas redes sociais foi o encontro dos presidenciáveis. Bolsonaro foi o segundo nome mais citado, mesmo sem comparecer ao evento. O primeiro lugar ficou com o pré-candidato Ciro Gomes.

Foram coletadas mais de 17 mil menções nas redes sociais somente durante a fala dos pré-candidatos, que ocorreu entre às 19h30 e às 21h30. As mensagens geraram, no total, 9,9 milhões de impressões, como mostra a tabela com os indicadores abaixo:

Comparativo do número de menções entre os pré-candidatos durante o encontro de presidenciáveis:

O nome que recebeu o maior número de menções (3.140) relacionadas ao evento nas mídias sociais foi Ciro Gomes, devido, principalmente, a tweets que diziam que o pré-candidato à presidência pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) havia agredido com um tapa no rosto Arthur do Val, do canal do Youtube “Mamãe Falei”. Na nuvem de emojis (abaixo) relacionados ao pré-candidato, aparecem emoticons apaixonados, chorando de rir e palmas em destaque. As palmas foram adicionadas a tweets e comentários quando o pré-candidato falou sobre a China e também a comentários de apoio a Ciro Gomes.

O pré-candidato João Amoêdo, do Partido Novo, recebeu 1.132 menções nas redes sociais. A palavra “melhor” foi mencionada 68 vezes ligada ao nome dele. Nas redes, alguns usuários o compararam com os outros pré-candidatos – por isso nomes como Rocha e Ciro também aparecem na nuvem de palavras.

A pré-candidata pelo partido Rede, Marina Silva, recebeu um terço das menções de Ciro Gomes – foram 1.042 ao total. Através da nuvem de palavras ligadas à Marina no Twitter é possível visualizar em destaque os termos “infância”, “vitimismo” e “apelou” – usuário deram RT em um tweet que afirmava que a candidata utilizou sua infância pobre para “apelar” durante o seu discurso.

Já o pré-candidato Geraldo Alckmin, do Partido da Social Democracia Brasileiro (PSDB) recebeu 357 menções durante o período do evento. Na nuvem de palavras do Facebook gerada pela plataforma Sentimonitor, o termo “privilegiado” apareceu devido a usuários que mencionaram que Alckmin perdeu o foro privilegiado e que questionaram “onde estava o juiz Moro”.

Flávio Rocha, pré-candidato pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), foi o que recebeu o menor número de menções durante o evento. Ele foi citado 293 vezes e seu nome foi ligado nas redes sociais as palavras “marxismo” e “conservadores”. Jair Bolsonaro, mesmo sem comparecer ao encontro de presidenciáveis, foi mencionado 1.218 vezes nas redes sociais. Termos como “arregou”, “cadê” e “fugiu” aparecem em destaque na nuvem de palavras relacionadas a ele.

Análise das mídias sociais do segundo dia do Fórum da Liberdade

Já na terça-feira, o grande momento do dia (e também o que recebeu mais menções nas redes sociais), foi o painel “A Lei”, que ocorreu às 17h, com a presença do juiz federal Sérgio Moro, do vice-Procurador no Tribunal de Milão e promotor da Operação Mãos Limpas Antonio Di Pietro e do professor de Ciência Política do IBMEC-MG e PhD em Teoria Política e Econômica pela Universidade de Gênova, Adriano Gianturco.

Recomendamos para você:  [CASE] Monitoramento de Redes Sociais e Marketing de Conteúdo: Engaje seu Público com o Conteúdo Certo!

Sérgio Moro foi responsável por 3,4 mil das mensagens postadas nesta terça-feira sobre o Fórum da Liberdade, o que corresponde a quase um terço do total. A palavra “ovacionado” foi mencionada 572 vezes referindo-se a sua participação no painel. Já a palavra “golpista” foi postada 421 vezes – a maioria são RTs de tweets que afirmavam que estudantes estavam do lado de fora do prédio do evento o chamando de golpista e pedindo a liberdade de Lula.

*Engajamentos: número total de interações nas mensagens sobre o Fórum da Liberdade em todas as redes sociais.
*Impressões: potencial de alcance do autor do post + potencial de alcance de quem compartilhou (Twitter e Instagram).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *