Repercussões ocultas do Auxílio Emergencial

Tempo de leitura: 2 minutos

Anteontem publicamos nosso mais recente estudo:

Utilizando big data para entender e avaliar as repercussões do Auxílio Emergencial

A busca por outros pontos de vista e insights sobre temas sociais quentes é fascinante. Em geral, ficamos limitados àos permite ter um ângulo diferente daquele percebido a partir de nossa própria experiência e contato com a mídia.

Nesse caso, não foi diferente.

Fake news

Parte do que encontramos foi bastante negativo: o filho do apresentador William Bonner, que sofreu um estelionato no qual teve seu CPF fraudado e um pedido de Auxílio aprovado, foi vítima de ataques virtuais, que tentavam distorcer a narrativa e acusavam o garoto de, de fato, ter sido beneficiado pelo programa voltado a brasileiros que passam por dificuldades financeiras em meio à pandemia.

Distanciamento social? Não exatamente…

Além disso, descobrimos que parte das diversas fotos que circulam na internet de filas enormes se formando nas agências da Caixa Econômica Federal são fruto de problemas com o app Caixa Tem – por meio do qual beneficiários recebem e gerenciam o dinheiro do Auxílio. Por não conseguirem fazer o que precisam com seu dinheiro, muitos precisam ir até agências da Caixa para resolver aquilo que deveria ser possível por meio do app.

Os problemas com esse fato transcendem o incômodo. Em tempos de pandemia e distanciamento social, filas e aglomerações devem ser evitadas a todo custo por razões sanitárias. Deveria ser óbvio, não?

Nem tudo está perdido

Felizmente, as fintechs tem desempenhado papel importante em mitigar essa questão. Serviços como PicPay (que integra diretamente com o sistema da Caixa), Banco Inter e Nubank (ambos permitem depósito em Conta por meio de boleto bancário, que pode ser pago pelo Caixa Tem) facilitam a vida dos usuários do Caixa Tem, dando-lhes mais flexibilidade e autonomia para usar o saldo do benefício.

Imagem digitalmente modificada. “PicPay Tem” não é um aplicativo de verdade.

Baixe a pesquisa

Para conferir mais sobre esses e os demais achados, baixe aqui nosso estudo completo! Só te tomará dois cliques 😉

Recomendamos para você:  Mudanças da API do Facebook: o que muda na análise e monitoramento de redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *